sábado, 17 de agosto de 2019

CÂMARA LEGISLATIVA DO DF HOMENAGEIA A ACADEMIA TAGUATINGUENSE DE LETRAS PELOS SEUS 33 ANOS DE ATUAÇÃO NO MUNDO CULTURAL DO DF


Por Gustavo Dourado 
Presidente da Academia Taguatinguense de Letras - ATL

Uma das instituições literárias mais tradicionais e atuantes do Distrito Federal, a Academia Taguatinguense de Letras (ATL) será homenageada nesta segunda-feira, 19 de agosto, às 10h, em Sessão Solene no plenário da Câmara Legislativa do DF (CLDF), pelos seus 33 anos de existência. Trata-se de reconhecimento pela consistente contribuição da entidade ao desenvolvimento cultural local, bem como ao seu apoio a projetos sociais de iniciativa da comunidade, justifica a deputada Jaqueline Silva, proponente da sessão. 

O presidente da ATL, o escritor e professor Gustavo Dourado, observa que acadêmicos e convidados receberão com alegria essa importante distinção da Câmara Legislativa em função do trabalho desenvolvido junto à população, aos leitores, jovens estudantes, professores e pesquisadores. Ele lembra que, em 2013, a Academia Taguatinguense de Letras foi tombada pelo poder público como Patrimônio Cultural, Material e Imaterial do Distrito Federal. E, assim, ficou consolidada no Complexo Cultural EIT. “Fomos reconhecidos também pelo Ministério da Cultura, em virtude de nossas atividades em escolas, feiras, bienais de livros, sempre incentivando a leitura por meio de palestras, oficinas, saraus e lançamentos de obras”, destaca Dourado.



Atividades 


Na atual gestão, a entidade foi convidada e participou de três Bienais Brasil do Livro e da Leitura, de cinco Semanas Nacionais de Ciência e Tecnologia, de seis Feiras do Livro, incluindo a Feira Literária do Distrito Federal (Fli/DF), realizada em Taguatinga.

Gustavo Dourado recebe o Troféu Dom Quixote na Feira do Livro 
de Brasília pelo seu trabalho como autor e presidente da ATL

Visita de estudantes no estande da ATL na Feira do Livro de Brasília
Na Feira do Livro de Brasília: escritor homenageado


Participou ainda do Fórum Mundial de Direitos Humanos, do Fórum Mundial da Água, das feiras do livro da Câmara Legislativa, e de centenas de eventos literários em escolas, universidades, faculdades e em instituições culturais. Sempre com o intuito de divulgar as obras e os trabalhos dos acadêmicos e de escritores do Distrito Federal. Em uma dessas ocasiões, a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos adquiriu mais de trezentos livros de autores da ATL. 

Entre os projetos realizados pela academia constam o recital poético-musical Beco das Letras, em sua décima-segunda edição; a Oficina de Cordel para estudantes, já com 60 aulas ministradas envolvendo cerca de 600 alunos; Projeto de Doação de Livros para escolas e instituições como a Secretaria de Educação do DF, a Fundação de Amparo ao Preso e a Casa Azul. Editou também a I Antologia da Academia Taguatinguense de Letras, com mais 140 autores do DF e entorno e oito edições de informativos culturais.

No lançamento da I Antologia da ATL

A ATL foi criada, em 5 de junho de 1986, por 18 professores escritores da Secretaria de Educação do Distrito Federal, atuantes em escolas públicas de Taguatinga. Entre os fundadores destacam-se Hilda Mendonça, Nara Nascimento, Hélio Soares Pereira e Leão Sombra do Norte Fontes (In Memoriam). 

Nesses 33 anos, construiu uma história calcada na luta pela cidadania e na valorização do pensamento que preserva os mais altos valores humanos como o enriquecimento intelectual, a liberdade de expressão, a solidariedade e a promoção do livro e da leitura, do saber, das artes e da cultura de um modo geral. Suas duas bibliotecas guardam um acervo de mais de 7 mil livros, em sua maioria de escritores do Distrito Federal.

Na sala das oficinas de cordel na sede da ATL