terça-feira, 18 de março de 2014

O CURSO CLÁSSICO DO COLÉGIO SANTO ANTÔNIO DE SÃO JOÃO DEL-REI EM 1944-1946


Por Francisco De Filippo

No final de 1943, entrou em vigor a reforma do curso ginasial, que era de 5 anos.  Foi reduzido a 4.  Em compensação, criou-se o segundo grau, dividido em Clássico e Científico.  A intenção era muito boa, mas logo no início o curso científico ocupou espaços importantes,  reduzindo o espaço do clássico.  

Éramos três alunos no curso clássico do Colégio Santo Antônio de São João del-Rei.  Além de mim,  Guilherme Bartholdi  (estou inseguro quanto à grafia do sobrenome)  e Francisco Décio Campos, que era de São João del-Rei.  Morava nas imediações da praça da Igreja de São Francisco.  Era filho de um tabelião (ou cargo semelhante).  O Guilherme ficou muito conhecido, mas com outro nome, o piedoso frei Estanislau, com o qual convivi durante três anos.  O Décio procurou outro colégio e, parece-me, faleceu pouco tempo depois. Pude continuar no curso clássico porque frei Bertrando, que era diretor do colégio, tinha fé na vocação do futuro frei Estanislau. 

Não cheguei a ser um aluno exemplar. Lia bastante, mas tive pequenos atritos com o professor Mário Mourão.  Em compensação, gostava do professor Domingos Horta, que lecionava português.  Gostava também de outros professores, entre os quais frei Orlando, que me deu aulas de religião.  Deixou as aulas porque foi servir o Exército Brasileiro, na Itália, onde morreu, dando assistência aos nossos pracinhas em luta contra os Alemães.

Minha ligação com os franciscanos prosseguiu.  Ao terminar o curso de Letras Neolatinas,  em Belo Horizonte,  frei Bertrando autorizou a minha contratação como professor de português no Santo Antônio de Belo Horizonte, inaugurado um ano antes.  Lá reencontrei frei Pedro, outro grande amigo.  Além de excelente ser humano, ele dirigia o nosso time de futebol, o Esparta.  Quando me mudei para minha terra, Ubá, MG, ele passou a ser o vigário responsável pela minha paróquia. 

8 comentários:

Anônimo disse...

Como é agradável ler um artigo que faz alusão ao hiper Colégio Sto Antônio,principalmente de um ex aluno, de sua envergadura, Francisco De Filippo. Como é bom para o Blog de São João del Rei, tê-lo, agora, como colaborador. Que, seja muito bem vindo!

Só mesmo quem estudou neste Colégio, para dar o testemunho de sua grandiosidade e da contribuição, sem limites, na área educandaria em nosso país. Colégio que, por apenas 1(um) décimo de ponto reprovava o aluno. Daí, há de se pensar até, que de padagogia, o colégio não tinha nada, pois, medir a capacidade de um aluno por apenas um décimo de pontuação. Mas,o contrário, era em virtude de seu rigor e, só era mesmo aprovado quem realmente estava preparado.

Estudei também no Colégio Sto Antônio, desde o quinto ano( ingresso em 57, s.m.j) e o deixei no terceiro ano colegial.Tive aulas com os Professores: Domingos Horta, Mário Mourão e Frei Orlando.Joguei futebol no Esparta. Portanto, caro Francisco, sensibilizei-me muito ao ler o que você escreveu sobre o nosso Colégio. Parabéns sempre.

Prof. José Lourenço Parreira (violinista, regente e escritor) disse...

Muito obrigado, caro Braga! PAZ!

Prof. Antônio de Oliveira (cronista) disse...

Prezado primo,
Você tem o e-mail do professor Francisco De Filippo? Pode me fornecer? Tem recebido regularmente as crônicas?
Com meu abraço cordial, Antônio

Prof. Fernando Teixeira (Secretário Geral da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Muito grato pelo envio. É bom lembrar as coisas boas da memória. Por falar em Colégio Santo Antônio, o atual Diretor dele, em Belo Horizonte, frei Jacir, toma posse sábado na Academia Divinopolitana de Letras no sábado às 19;30 horas, no Centro Ecumênico de Formação e Espiritualidade (CEFESP) dos Franciscanos, na Rua Minas Gerais, 582, aqui em Divinópolis. Fui designado para recebê-lo. Quem sabe você e Rute poderiam dar a alegria de um abraço pessoal em seus confrades? Deus o guarde, por Maria Santíssima e São José. Fernando Teixeira

Antônio de Pádua Casella disse...

Muito interessante a trajetória do Prof. Francisco De Filippo.
Certamente fez história por essas montanhas de minas por onde passou.
É muito valiosa a sua contribuição para o "blog" que se apresenta universal, nos aspectos da cultura, da arte, da música, da história.
Explorar o conhecimento, experiência, vocação artística e cultural daqueles que nasceram ou passaram por São João, muito contribui para
ampliar o potencial de resgaste da história e preservação da memória da cidade, da região e do Brasil.

Prof. Mário Celso Rios (presidente da ABL-Academia Barbacenense de Letras) disse...

Obrigado, BRAGA!
Vc me fez lembrar com nostalgia meu saudoso pai ao me enviar e para a ABL esta matéria do Colégio Santo Antônio de SJDR, pq ele amava tal educandário e fatos marcantes da vida dele ali também ocorreram em sua infância! Vida e saúde para você e sua RUTE! Abraço, M. CELSO

Dr. Lúcio Flávio Baioneta (proprietário de Análise Comercial Ltda) disse...

Meu amigo FJSBRAGA , agradeço-lhe pelo carinho em enviar-me email sobre o nosso querido GSA-Ginásio Santo Antônio.
Será q eu ainda vou conseguir escrever sobre os período q estudei neste excelente educandário?
Cheguei em fevereiro de 1953, fiz o exame de admissão e matriculei-me no 1º ano do curso ginasial e sai diplomado em dezembro de 1957.
Estudava pelo regime de internato, começando pelos menores, depois pelos médios e por último pelos maiores.
Foram os 5 anos que moldaram a minha vida.
Um dia volto ao assunto.
Um grande abraço do amigo, Lúcio Flávio

Gisele Boucherville disse...

Caro Francisco!
Como vai?
Estou fazendo doutorado na Puc Minas e estou me aprofundando na história do Ginásio Santo Antonio de São João del-Rei. Ao jogar no google o nome do Ginásio, apareceu sua historiografia. Preciso ir as fontes primárias, arquivos e documentos do Ginásio, quero falar de sua implantação em São João del rei, você sabe onde eu posso achar isso? Grata e parabéns pelo artigo!