sexta-feira, 9 de setembro de 2016

UMA CONSAGRADA PIANISTA SÃO-JOANENSE: MARIA DAS MERCÊS MOURÃO CALAZANS


Por Francisco José dos Santos Braga




Crédito pela imagem: A TRIBUNA, edição de 18/11/1928








                                                        




















I.  INTRODUÇÃO

Neste artigo pretendo homenagear MARIA DAS MERCÊS MOURÃO CALAZANS, uma grande pianista são-joanense que brilhou nos palcos cariocas, de Niterói e de sua terra natal, pelo menos, e cuja memória infelizmente se encontra apagada pelas dificuldades que os pesquisadores estão enfrentando na sua busca de maiores informações sobre essa insigne pianista. 

Por essa razão, as informações que vou trazer neste artigo têm por fim apresentar ao leitor do Blog de São João del-Rei uma imagem, embora apagada como disse, do que representou para São João del-Rei e para a projeção da nossa cidade nos meios artísticos da Capital Federal a grande pianista, conhecida entre nós com o apelido carinhoso de "Quita". Tomei a decisão de divulgar meus achados, após longa reflexão, na esperança de que, publicando as informações que possuo, possam outras pessoas da família e de suas relações de amizade completar essas insuficientes informações que se lerão abaixo.

O pianista e compositor são-joanense Abgar Tirado informou-me  que, para completar sua pesquisa sobre ela, também está enfrentando as mesmas dificuldades que tenho encontrado no meu "jornalismo investigativo",  mas deu-me uma informação valiosa, a saber: diante da fama de "Quita" no Rio de Janeiro e entre nós, os pais de outra pianista são-joanense de escol, Mercês Bini,  certamente tendo assistido às apresentações de "Quita" nos palcos são-joanenses, não hesitaram em enviar a filha para o Rio para estudar piano aos cuidados da consagrada concertista e desta forma adquirir sua prodigiosa técnica pianística que demonstrou em inúmeras ocasiões. Felizmente sobre essa segunda pianista possuímos muito mais informações disponíveis.

A aparição de "Quita" na imprensa são-joanense se fez sentir em 1924 quando ela conquistou o 1º prêmio "Medalha de Ouro" na cadeira de piano do Instituto Nacional de Música do Rio de Janeiro, hoje Escola de Música da UFRJ. De acordo com minha pesquisa, há informações musicais sobre Maria das Mercês Mourão Calazans entre 02/10/1924 e 8/4/1948, quando supostamente fez a sua última aparição nos palcos são-joanenses, tendo sido "delirantemente aplaudida" devido a um programa variado e rico apresentado e interpretado magnificamente pela insigne pianista. Dele constavam músicas de Gluck, Beethoven, Debussy, Dohnanyi, Chopin e Liszt. 

Sentimos também informar ao leitor que desconhecemos o nome de sua mãe, bem assim os nomes de seus irmãos e filhos, se é que os teve. Seu pai chamava-se Augusto da Silva Mourão, com base em efeméride de Sebastião de Oliveira Cintra.

Mantive a grafia de época nas transcrições que se seguirão.



II.  PERFORMANCE ARTÍSTICA DA PIANISTA MARIA DAS MERCÊS MOURÃO CALAZANS



1.  [CINTRA, 1982: 460] registra na efeméride de 02/11/1866 (data de falecimento do comendador João Antônio da Silva Mourão): dentre inúmeras informações, menciona que Maria Calazans é filha de Augusto da Silva Mourão, sem precisar a data de seu nascimento e o nome de sua mãe. 

2.  [GUERRA, 1968: 163] noticia em 02/10/1924: "Concerto da consagrada pianista são-joanense Maria das Mercês Calazans, laureada pelo Instituto Nacional de Música, por unanimidade, com o 1º prêmio "Medalha de Ouro". A linda e vasta sala da "Associação Comercial" estêve repleta do que havia de mais fino na sociedade de S. João del-Rei, aplaudindo calorosamente o belo programa executado pela nossa querida 'QUITA'." 



3)  "CENTRO ARTISTICO MUSICAL.


O 28º concerto do Centro Artistico Musical terá logar hoje, às 16 horas, no salão do Instituto de Musica, sendo o programma que hoje será interpretado o seguinte:
I a) Henrique Oswald Valse lente; b) Exercicio Estudo em mi maior, pela professora Maria das Mercês Mourão Calazans; II  C. Saint Saens Rondó capricioso, pela senhoria Almira Silveira; III André Messager Chant d'amour; Rimsky-Korsakoff Hymno ao sol; pela senhorita Olga Abrahão; IV Chopin 1ª Ballada, pela professora Sra. Maria das Mercês Mourão Calazans; V a) F. Chiaffitelli Ti mirendo (Habanera); b) G. Pugnani Preludium-allegro, pela senhorita Almira Silveira; VI F. Marchetti Ruy Blas Grande scena Larva dorata del mio pensiero Regiva, pela senhorita Olga Abrahão.
Os acompanhamentos ao piano serão feitos pela Sra. A. Araujo Jorge." 

FonteO PAIZ, Rio de Janeiro, edição 15134, 28 de março de 1926, p. 13, coluna "Artes e Artistas", subtítulo Musica.
Cf. in http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=178691_05&pagfis=24773&pesq=&url=http://memoria.bn.br/docreader#   Acesso em 18/6/2016.


4)  "Realizar-se-ha, amanhã, 12 do corrente, com o concurso dos literatos Dr. Alberto de Oliveira, Olegario Mariano, Eduardo Gomes Filho e da pianista Maria das Mercês Mourão Calazans, premio de ouro do Instituto Nacional, senhorita Sulamita de Carvalho, soprano, senhorita Arina Coutinho, "diseuse"; Oscar Gomes, tenor e do professor de citara, Willi Foocks, a "Hora de arte", de gala, com que vai a directoria do Club Central de Nitheroy inaugurar a semana commemorativa do seu 20º anniversario."

Fonte: O PAIZ, Rio de Janeiro, edição 15239, 11 de julho de 1926, p. 4, coluna "Vida Social", subtítulo Festas.
Cf. in http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=178691_05&pagfis=25968&pesq=&url=http://memoria.bn.br/docreader#   Acesso em 18/6/2016.

5.  O jornal "A TRIBUNA" de São João del-Rei reproduziu nas suas páginas a crítica do jornalista, escritor, primeiro médico sexólogo brasileiro e pintor Hernani de Irajá a um concerto de nossa conterrânea Maria das Mercês Mourão Calazans no palco do Teatro Municipal do Rio de Janeiro em 27 de outubro de 1928, publicada pelo jornal carioca matutino "A Pátria".  Eis a publicação reproduzida pelo jornal são-joanense "A Tribuna":

"MUSICA

Sra. Maria das Mercês Mourão Calazans 

Realizou-se a 27 do mês cadente, às 21 horas, no Theatro Municipal, no Rio de Janeiro, o recital da nossa illustre conterranea sra. Maria das Mercês Mourão Calazans, 1º premio do Instituto Nacional de Musica.


O abalisado critico de arte sr. Hernani de Irajá, em luminosa apreciação inserta no conceituado matutino da capital da Republica "A Patria", assim se refere a insigne pianista sanjoannense: 
"A senhora Maria das Mercês Mourão Calazans deu-nos hontem o seu esperado concerto de piano.
E a grande concorrencia, coisa rara applaudiu-a de facto e com enthusiasmo.
É que a pianista se revelava sincera, emotiva, com technica soberba, quasi que surprehendente.
Além das mais qualidades innatas aos "virtuoses", Maria Calazans exteriorisou a sua vibração isochronisada e afinada aos temperamentos que traduziu no programma a capricho. Sonoridade, optimos pedaes, boa agilidade, clareza no colorir, grandiosidade nos realces de claro escuro, a pianista bilhou em Chopin que é reveladamente o seu grande predilecto.
De Beethoven deu-nos a soberba Sonata op. 57 que conduziu de um modo irreprochavel quer quanto à interpretação, quer quanto à technica pianistica.
A "Dansa do Amor Bruxo", de Miguel de Falla foi optima, talvez eu exigisse ahi mais um pouco daquella "selvageria" rubinsteineana como a que nos acostumara o "herculeo rei do teclado moderno".
"Jets d'eau", de Ravel e o "Estudo pathetico" de Scriabine foram tambem dos excellentes numeros de hontem.
Grandemente ovacionada deu-nos a concertista, para finalisar a "soirée", um "Nocturno" e um "Estudo" de Chopin. Como os demais executados, mereceram esses "extras" os melhores applausos da selecta assistencia que foi hontem premiar com "bravos" e palmas o exito artistico e o talento da já grande "virtuose" brasileira.
H. de Irajá". 

O programma executado e calorosamente applaudido foi o seguinte:
1ª parte Haendel Le forgeron harmonieux; Daquin Le Coucou; Beethoven Sonata op. 57 (Appassionata): Allegro assai Andante Allegro, non troppo Presto
2ª parte – Chopin Fantasia, op. 49, 2 Estudos e Scherzo em si bemol menor.
3ª parte Ravel Jets d'eau; M. de Falla Dansa ritual do fogo; Philipp Feux Follets; Villa-Lobos Polichinello; Scriabine Estudo pathetico."

Fonte: A TRIBUNA, São João del-Rei, Anno XIV, nº 952, edição de 11 de novembro de 1928, p. 1.



6.  [GUERRA, 1968: 185-6] noticia em 05/03/1933: "Concêrto no Teatro Municipal da genial pianista são-joanense MARIA MOURÃO CALAZANS, que, com brilho e arte, deliciou o povo de sua terra, com um monumental programa, obtendo grandes aplausos dos inúmeros admiradores de sua maravilhosa interpretação."

7. [GUERRA, 1968: 196-7] noticia da seguinte forma a apresentação da insigne pianista no Teatro Municipal de São João del-Rei, sua terra natal:
"03/04/1935 - Grande exibição da notável pianista conterrânea MARIA MOURÃO CALAZANS, com acompanhamento da orquestra da "Soc. de Concertos Sinfônicos" no Teatro Municipal, com o seguinte belo programa:
1ª Parte – Chopin, Scherzo op. 31 – Liszt, Rêve d'Amour – Gottschalk, Grande Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro
2ª Parte  Grieg, Concêrto op. 16 (1º tempo) para piano com acompanhamento de orquestra
3ª Parte  Henri Herz, Variations Brillantes sur le Trio favori da ópera "Pré aux Clercs", por Ferdinand Hérold.
Foi uma noitada brilhante, com um público ultra-selecionado, que aplaudiu delirantemente a querida pianista conterrânea."

8)  TIRADO completa essas informações com o seguinte trecho de seu texto intitulado "Teatro Municipal de São João del-Rei":
"É relevante a referência à inauguração dos pianos de cauda adquiridos para o Teatro: No dia 03 de abril de 1935, a consagrada pianista são-joanense Maria das Mercês Mourão Calazans, radicada no Rio de Janeiro, inaugura o piano de meia cauda francês, marca Érard. Além de vários solos, a pianista executou, secundada pela orquestra da Sociedade de Concertos Sinfônicos, sob a regência do Maestro João Cavalcante, o primeiro movimento de Concerto em lá menor de Grieg."

Fonte: http://www.sjdr.com.br/historia/igrejas_monumentos/teatro/        Acesso em 18/6/2016.


9)  [GUERRA, 1968: 254] noticia da seguinte forma a apresentação da insigne pianista são-joanense: "8/4/1948 - Recital de piano de Maria Mourão Calazans, com músicas de Gluck, Beethoven, Debussy, Dohnanyi, Chopin e Liszt, concêrto êste que foi delirantemente aplaudido, demonstrando o público o valor que reconhecem na nossa ilustre conterrânea, residente no Rio de Janeiro.


10)   Agora lhes apresento uma curiosidade que localizei na Internet, mas que nada tem a ver com a vida artística de minha homenageada, mas que evidencia que ela possuía, paralelamente às suas atividades pianísticas, uma aptidão administrativa. 

Abaixo são fornecidas duas informações dando conta de que ela se comprometeu em dirigir, por mais de quatro anos, o Palacete Valença Predial S.A., sediado no Rio de Janeiro. Abaixo são descritas a sua admissão no cargo de Diretor-Gerente em 31/03/1947 e sua renúncia ao referido cargo em 31/10/1951.

a)  Na reunião de 31/03/1947: Maria das Mercês Mourão Calazans substitui José Fonseca na direção do Palacete Valença Predial S.A.,  na qualidade de Diretor-Gerente, com sede na Rua Visconde de Inhaúma, 56, 2º andar, no Rio de Janeiro.

Fonte: D.O.U. de 28/04/1947, p. 172, Seção 1
http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2319295/pg-172-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-28-04-1947  Acesso em 18/6/2016.

b)  Na reunião de 31/10/1951: Maria das Mercês Mourão Calazans apresenta seu pedido de renúncia do cargo de Diretor-Gerente do Palacete Valença Predial S.A., que foi aceito, após ter justificado que se encontrava impossibilitada de continuar devido a seus afazeres profissionais.

Fonte: D.O.U. de 01/12/1951, p. 50, Seção 1
http://www.jusbrasil.com.br/diarios/2834874/pg-50-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-01-12-1951  Acesso em 18/6/2016.



III.   BIBLIOGRAFIA  CONSULTADA



CINTRA, Sebastião de Oliveira: Efemérides de São João del-Rei, 2 vol., 2ª edição, 1982, 622 p.

GUERRA, Antônio Manoel de Souza: Pequena História de Teatro, Circo, Música e Variedades em São João del-Rei - 1717 a 1967, Juiz de Fora: Sociedade Propagadora Esdeva-Lar Católico, 1968, 327 p.
 

6 comentários:

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...

Diante das grandes dificuldades de obter maiores informações sobre a vida da minha homenageada, pianista e professora Maria das Mercês Mourão Calazans, decidi fazer um relato do que descobri até agora, na base de "jornalismo investigativo", para não manter engavetada a pesquisa, iniciada há um ano atrás. Mesmo considerando-a não suficiente, ainda questionável e pouco científica, decidi publicar o que possuo, contando com a generosa compreensão do meu leitor, já que não sei se irei dispor de alguma informação adicional relevante no futuro. Caso isso ocorra algum dia, trarei a seu conhecimento as novas "descobertas" no momento oportuno.

Anônimo disse...

Ilustre Francisco Braga,

sempre nos legando as pérolas de nossa rica cultural e artística terra. Fiquei perplexo com mais este registro, homenageando a pianista Maria das Mercês Mourão Calazans, a qual, jamais sequer imaginava de sua presença marcante entre nós são-joanenses.
Musse Hallak

Ray Pinheiro disse...

Caríssimo conterrâneo Francisco José dos Santos Braga , que coisa mais boa beber de sua sabedoria histórica e cultural.
Mais uma vez encantado e divulgando essas delicias de nossa terra natal.
Muito obrigado , seu amigo admirador desde os tempos do Batalhão Tiradentes.
Ray Pinheiro.

Jota Dângelo (médico, diretor, ator, teatrólogo, gestor cultural, fundador da escola de samba Qualquer Nome Serve e escritor) disse...

Não sabia nada da pianista Quita. Nem que Mercês Bini tinha sido aluna dela. Aliás tive três anos de aulas com Mercês Bibi na minha infância. Dangelo

Dr. Mário Pellegrini Cupello (pesquisador, escritor e presidente do Instituto Cultural Visconde do Rio Preto, de Valença, e sócio correspondente da Academia de Letras e IHG de São João del-Rei) disse...

Caro amigo Braga

Agradecemos pelo envio de seu importante artigo memorialista, mais um trabalho de pesquisa de grande importância para a preservação da memória de personalidades são-joanenses.

Abraços, do amigo Mario.