quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

INAUGURAÇÃO DA PRAÇA MAESTRO JOÃO CAVALCANTE EM SÃO JOÃO DEL-REI


Por Francisco José dos Santos Braga


Este artigo é dedicado a D. Maria da Conceição Assis Campos, carinhosamente conhecida como D. "Lilia", viúva do saudoso mentor desta homenagem prestada ao Maestro João Cavalcante.




I.  INTRODUÇÃO





[GUERRA, 1969: 179] assim se expressou a respeito do Tenente João Cavalcante: "Foi um dos grandes valôres que a nossa cidade conquistou e aqui realizou o milagre de organizar a maior e melhor orquestra sinfônica de cidades do interior de Minas. Foi também, por muitos anos, regente da Banda de Música do 11º Regimento de Infantaria." Sucinta, mas correta expressão do que representou para São João del-Rei um dos mais ilustres fundadores da Sociedade de Concertos Sinfônicos em 26 de janeiro de 1930, que foi também o regente da sua orquestra (desde a fundação) e do seu coro orfeônico (a partir de agosto de 1935).  

Considero ainda uma de suas grandes realizações a criação de um orfeão masculino no glorioso 11º Regimento de Infantaria. Além disso, regeu o "Orfeão da Escola Normal" (do Colégio Nossa Senhora das Dores), do qual tomaram parte como coristas, por exemplo, minha saudosa mãe Celina dos Santos Braga (⭐︎23/01/1928 - ✞ 29/05/2014) e D. Maria da Conceição Assis Campos, carinhosamente conhecida como D. "Lilia", viúva do Gal. Carlos de Oliveira Ribeiro Campos, mentor da homenagem ao mesmo Maestro João Cavalcante que será apresentada no texto abaixo. 

Além da homenagem mencionada, São João del-Rei, através de sua Câmara de Vereadores, reconhecendo a imensa e elevada colaboração do Maestro João Cavalcante para a Municipalidade, houve por bem denominar o Coreto da Av. Presidente Tancredo Neves "Maestro João Cavalcante", após sua restauração (Lei Municipal nº 4.129, de 14 de junho de 2007, ano em que nossa cidade foi agraciada com o título de "Capital Brasileira da Cultura"). 

Como última observação, lembro que será respeitada a grafia do autor do texto.





 II.  TEXTO:


 NOVA PRAÇA EM SÃO JOÃO DEL-REI



No dia 20 de março de 1988 - Domingo, 11:00 h de uma manhã ensolarada, tendo como mentor da homenagem o Gal. Carlos de Oliveira Campos e como autor do projeto de lei (Lei nº 2.327 de 29/06/1987) o vereador Mauro Carlos d'Assunção Figueiredo com a aprovação unânime dos sanjoanenses, o povo de São João del-Rei, pelos seus legítimos representantes, homenageou o Maestro João Cavalcante, falecido em 18/08/1985, dando a uma praça do bairro de Matozinhos o nome do saudoso maestro. A praça situa-se na confluência das seguintes ruas: Sete de Setembro, Joaquim Quintino dos Reis, Carlos Alves e Rua do Jatobá (INOCOOP).

ATO PÚBLICO

Para este ato público, presidido pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal de São João del-Rei, Vereador João Bosco Dângelo Alves, estiveram presentes várias autoridades civis e militares, representantes de entidades musicais, imprensa escrita e falada, amigos contemporâneos do saudoso homenageado e da família, bem como D. Maria Tereza Cavalcante, filhas e demais familiares. Nossa reportagem pôde ainda constatar a presença de autoridades tais como o Cel. Comandante do 11º BI, Alberto Mendes Cardoso e senhora, Gal. Carlos de Oliveira Campos e senhora, o Prof. Gustavo Campos-Vice Prefeito, representando o Executivo; o Sr. Morelandi, Chefe de Obras da Prefeitura; entre as personalidades pode-se observar a presença do Presidente da Orquestra Sinfônica, criada pelo Maestro João Cavalcante, Sr. José Raimundo Lobato Costa, Sr. Osvaldo Santiago Lobosque, presidente da Associação de Presidentes, o Maestro Parreira, Prof. Abgar Campos Tirado, a ecologista e jornalista Sílvia Fernanda, a jornalista Vilma Benfenatti José Firmino do Jornal do Poste, José Antônio do Jornal de São João e um grande número de moradores do Conj. Hab. Pres. Tancredo Neves, próximo à praça, bem como moradores das proximidades.

Presidente da Câmara João Bosco Dângelo Alves, vereador Mauro Carlos d'Assunção Figueiredo, Cel. Alberto Mendes Cardoso, Gal. Carlos de Oliveira Ribeiro Campos e sua esposa D. Maria da Conceição Assis Campos
("Lilia"), e familiares do homenageado

BANDA DO 11º BI

A presença marcante da Banda do 11º BI abrilhantou o ato público com a execução de dobrados e composições de autoria do Maestro João Cavalcante, inclusive com a participação do público dando um cunho emocional à solenidade.

OS ORADORES DO ATO PÚBLICO

Falaram na ocasião, além do Presidente Ver. João Bosco Dângelo Alves, o Vereador Mauro Carlos d'Assunção Figueiredo, como autor do projeto de lei que instituiu a homenagem; o prof. Gustavo Sette de Resende Campos, representando o Prefeito de São João del-Rei, e o Gal. Carlos de Oliveira Campos que agradeceu em nome da família a homenagem prestada ao Maestro João Cavalcante.

MOMENTOS EMOCIONANTES

Coronel Alberto Mendes Cardoso, D. Teresa Cavalcante e sua filha Dulce

Os momentos que comoveram a todos os presentes foram quando primeiramente o vereador Mauro Figueiredo, com a eloqüência que lhe é peculiar, ao ler o vasto curriculum do homenageado, revelou e ressaltou o carinho e apreço do saudoso extinto para com a esposa e filhos, formando com eles uma orquestra, a PRÓ-ARTE e dedicando-lhes ainda composições suas, tais como: "Nilce", "Ivone", "Dulce" e "Tereza". O segundo momento emocionante foi quando D. Maria Tereza Cavalcante foi convidada a descerrar a placa, gravada em alumínio, onde se lê: "Praça Maestro João Cavalcante, compositor da canção do 11º RI e fundador da Orquestra Sinfônica de São João del Rei".

Entre lágrimas e sorrisos, o ato foi encerrado seguindo-se os cumprimentos aos familiares do saudoso extinto. 

Fonte: jornal DESAFIO REGIONAL, edição nº 10, março de 1988. 

Obs.: Hoje a praça, referida no texto, não existe mais, segundo informação do historiador Dr. José Antônio de Ávila Sacramento no seu comentário e conforme constatei "in loco". O nome do Maestro João Cavalcante perdura agora no belíssimo e pomposo Coreto da Av. Presidente Tancredo Neves, devido aos esforços do mentor da homenagem, o Vereador Adenor Simões, assessorado pelo historiador acima citado, quando presidente do IHG local. Parabéns a ambos pelo resultado muito melhor, de fato (substituição do nome da praça pelo do Coreto),  atendendo, por um lado, a inevitável modernização urbana e, por outro, a  visibilidade, pois o Coreto possui uma localização definitiva num dos mais frequentados logradouros da cidade. Estejam todos certos de que a memória do Maestro João Cavalcante continua a ser preservada entre os são-joanenses, pois somos muitos a defendê-la.



III.  AGRADECIMENTOS



Deixo aqui consignada minha gratidão à minha esposa Rute Pardini Braga por registrar aqui as fotos do evento comemorativo, formatadas a partir do referido jornal, e ao saudoso amigo Luiz Antônio Ferreira, o "Irmão" (⭐︎ 02/02/1949 - ✞ 05/03/2015), por ter-me cedido, em vida, a matéria deste post. 



IV.  BIBLIOGRAFIA  CONSULTADA



GUERRA, Antônio Manoel de Souza: Pequena História de Teatro, Circo, Música e Variedades em São João del-Rei - 1717 a 1967, Juiz de Fora: Sociedade Propagadora Esdeva-Lar Católico, 1968, 327 pp. 

Jornal DESAFIO REGIONAL: "Nova Praça em São João del-Rei", São João del-Rei, diretor fundador: Carlos Alberto da Silva Braga, edição nº 10, março de 1988. 

8 comentários:

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...

Tive a sorte de ter sido agraciado com a cessão de uma edição do jornal Desafio Regional, de março de 1988, que tratava da inauguração de uma praça em Matozinhos, bairro de São João del-Rei, em homenagem ao Maestro João Cavalcante.
O texto, bem escrito, registra uma importante ação do Gal. Carlos de Oliveira Ribeiro Campos visando à perpetuação da memória do Maestro João Cavalcante em nossa cidade, dois anos e meio após a morte deste.
O texto lembra ainda fatos importantes da vida do Maestro, bem como algumas de suas brilhantes realizações em benefício da comunidade são-joanense.

José Antônio de Ávila disse...

O registro memorial da Praça (ou melhor, ex-Praça) Maestro João Cavalcante é importante matéria produzido pelo amigo Francisco Braga.

No entanto, por forças das circunstâncias, tivemos que procurar outro local para homenagear ao ilustre maestro. Confira em:
http://www.patriamineira.com.br/ver_pdf.php?id_noticia=2297&id=3

Articulei o quanto pude junto à Câmara Municipal da época (leia-se vereador Adenor Simões Coelho) e conseguimos transferir o nome de João Cavalcante para o Coreto da Avenida Tancredo Neves. Confira este assunto em: http://www.patriamineira.com.br/ver_pdf.php?id_noticia=2283&id=3

Dr. Eduardo Lopes de Oliveira (advogado do escritório PMRAF Advogados em Belo Horizonte) disse...

Francisco José,

Chegando de férias, li seus grandiosos trabalhos s/ a Sociedade de Concertos Sinfônicos de São João Del Rei, Bernardo Sayão e Tenente Cavalcante, entre outros.

Revivi a lembrança, com alegria, do seguinte:- Sr. José do Nascimento Teixeira, meu padrinho de batismo; Bernardo Sayão, já transitei, na BB/Brasília-Belém até Miracema do Norte, antes GO, hoje, TO, e, por fim, lembrei-me, ainda, do Tenente/Maestro Cavalcante, pois, papai e mamãe e nós, os filhos, morávamos, junto com minha avó paterna (Vovó/Mãe Donana e meu Tio Zé Lopes) no início do Morro da Forca, logo ao lado do saudoso Grupo Escolar Maria Tereza, onde tive a honra de estudar.

Meu cordial abraço, para você e Rute.

Eduardo.

Maria Carla Campos (filha do General Carlos de Oliveira Ribeiro Campos e de D. "Lilia") disse...

Olá, Francisco,
eu e mamãe agradecemos esta valiosa publicação em seu blog que sempre nos premia com assuntos tão importantes que mantêm viva a memória de nossa cidade. Nesta data de março de 1988, papai já estava doente e esta inauguração foi o último ato público do qual ele participou e que lhe trouxe muita alegria já que foi amigo pessoal do saudoso maestro Ten. Cavalcante.
Meu abraço pra você e Rute.

Maria Carla

Prof. Fernando Teixeira (professor universitário, escritor e membro da Academia Divinopolitana de Letras, onde é Secretário Geral) disse...

Muito grato pelo envio do documento. Fernando Teixeira

Vadim Arsky (pianista especializado em bossa nova) disse...

Prezado Francisco.

Agradeço o envio da matéria, de reminiscência tão sensível e histórica, que inclusive nos mostra a figura do tão estimado Alberto Cardoso ainda como coronel.

GRANDE abraço

Dr. Mário Pellegrini Cupello (escritor, pesquisador, presidente do Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ, e sócio correspondente do IHG e Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Caro amigo e Confrade Francisco Braga,

Parabéns por mais esse texto memorialista, registrando um evento digno de nota.

Abraços, do amigo Mario.

Rafael dos Santos Braga (pesquisador e bacharel em Filosofia pela UFSJ) disse...

Li seu trabalho. Meus parabéns pela guarda do referido jornal! Beijos, Rafael