terça-feira, 1 de julho de 2014

ELOGIO FÚNEBRE DE DONA CELINA DOS SANTOS BRAGA (Palavras de solidariedade à família Santos Braga por ocasião de seu passamento)



Por Frei Basílio de Resende O.F.M.

 
Da. Celina dos Santos Braga (✶23/01/1928  ✞29/05/2014)


Meus irmãos e irmãs, familiares e amigos de Da. Celina dos Santos Braga, 


Eu sou um frade franciscano, Frei Basílio. Estou aqui pela amizade ao Francisco Braga, e em nome de Frei Joel. A música, a beleza da arte, uniu Frei Joel Postma e Francisco Braga em uma profunda amizade.

Aqui, neste momento, estamos para enterrar o corpo de Da. Celina. Esta é a oportunidade para um último olhar, um último gesto para com o seu corpo, ao que é terreno dela e que vai, agora, ser húmus na terra.

Mas, a verdadeira pessoa, o que dela não é mortal vai para o Criador de toda Beleza.

Da. Celina Braga gerou e educou 8 filhos. Educou-os para buscar a Beleza que é Deus. Como ela buscou amar e contemplar a Beleza em cada rosto, em cada pessoa, em cada coisa bela neste mundo. E para isto educou seus filhos, e — na catequese, como ouvimos o Padre Alysson há pouco na missa, — educou outras crianças.

Ela vai, agora, para a própria Beleza que é Deus. Foi catequista e educadora das pessoas na busca de um sentido belo para a vida. Neste mundo, onde a violência e a guerra destroem a beleza nas pessoas e nas artes e no patrimônio cultural de um povo, — como vemos na Síria, na Ucrânia e em tantos outros lugares, — o mundo precisa de uma mudança de qualidade humana.

Da. Celina indicou o caminho da busca da Beleza, da Arte, da Música, que salva as pessoas, o humano e o mundo. E ela, agora, mergulhou na própria Beleza.

Rezemos, mais uma vez, como Jesus nos ensinou, por este mundo inteiro: “ PAI NOSSO...”.

Muito obrigado. 

São João del-Rei, 30 de maio de 2014

30 comentários:

Ray Pinheiro disse...

Meu caro irmão e amigo Francisco Braga , fui surpreendido com essa triste noticia do desencarne de vossa amada mãe terrestre.
Neste momento de dor e perda aceite meu abraço e de Nana.
Nossas preces para vossa genitora , para você e toda a família.
Que assim seja.(Ray Pinheiro.)

Ulisses Passarelli disse...

Perda lastimável de uma educadora, pessoa de alma boa, naturalmente dolorosa para a família e amigos. Que o Criador a conserve em caminhos iluminados e console na Terra aqueles que a amam.
Gde.abç.UP.

Francisco José dos Santos Braga (gerente do Blog de São João del-Rei) disse...

Decorrido o período de 30 dias após o falecimento de minha mãe Celina dos Santos Braga, ontem publiquei o elogio fúnebre que foi proferido por frei Basílio de Resende o.f.m., na noite de 30/05/2014 no cemitério das Mercês em São João del-Rei, após a missa de corpo presente e encomendação de sua alma.
A presença de frei Basílio naquele instante foi uma grata surpresa, uma vez que ele estava residindo em Montes Claros e de passagem por São João del-Rei.
A mensagem que ele transmitiu à família foi muito bem acolhida, razão por que submeto esta bela página à apreciação do leitor.

Francisco Braga

João Paulo Guimarães (gerente do Blog do JP e do site JP Notícias, diretor da TV DelRei e da TV ATHLETIC CLUB) disse...

Meus sentimentos, amigo.
JP

Dr. Geraldo Ananias Pinheiro (escritor) disse...

Caro Braga, não sabia do falecimento de sua mãe. Meus sentimentos.
Geraldo Ananias

Dr. Mário Pellegrini Cupello (Presidente do Instituto Cultural Visconde do Rio Preto, de Valença-RJ) disse...

Prezado amigo Braga

Lamentamos pelo falecimento de D. Celina, cuja notícia só agora ficamos sabendo. Tentamos ler o link, mas por deficiência do nosso computador não conseguimos abrir.

Aceite, junto à toda a sua família, os nossos sentidos votos de pesar, na certeza de que, onde estiver sua saudosa mãe -- certamente ao lado de Deus -- ela estará intercedendo por todos vocês.

Com um fraternal abraço,
Os amigos Mario e Beth.

Emílio Costa (gerente e redator do Blog "Tencões e Terentenas" e escritor) disse...

Amigo Braga,

Neste momento, que é absolutamente sombrio na vida de todos nós, deixo a você meu abraço nesta música.

https://www.youtube.com/watch?v=WpuUo1ZtmBs

Na versão cantada por Jane Duboc, Gismonti fala "desses anjos que partiram, e não voltam, nunca mais". Mas que, a gente sabe, estão para sempre em nosso coração.

Cordialmente,

Emilio.

Prof. Ulisses Passarelli (folclorista, escritor e gerente/redator do Blog Tradições Populares das Vertentes) disse...

Já fiz a leitura do bom texto franciscano e postei meu comentário sincero. Como o frei aludiu, pessoas como ela tem um poder de melhorar as condições deste mundo desgastado.
Grato pelo envio. UP

Eduardo Oliveira (são-joanense, ex-aluno salesiano) disse...

Francisco,
Tudo o que vem da parte de "Da. Celina" é imensamente gratificante para mim, Maria e os demais irmãos que ainda labutam por aqui, à espera da plenitude.
Não foi uma perda lamentável, mas sim um ganho para o crescimento de nossa espiritualidade e ainda mais uma santa a nos proteger e "ajudar a preparar a casa do Pai" para nós que ainda temos missão a cumprir.
Forte abraço
edu

Carlos Fernando dos Santos Braga disse...


Francisco, bom dia.
Realmente, foi uma grata surpresa a presença de Frei Basílio no funeral da Mamãe. Sua sensibilidade de tornar esse momento histórico, transcrevendo essas palavras de carinho e emoção, nos faz acreditar que o mundo ainda é saudável e há espaço para a bondade. Beijos, Nando

Luzia Rachel dos Santos Braga disse...

Que grata surpresa pela manhã!!
Obrigada, querido Francisco. Lindas, belíssimas palavras do frei Basilio, inspirado naquela hora por Deus trazendo Beleza para todos nós.
Encaminharei a muitos amigos este link.

Parabéns a você por este Blog que leva tanta cultura e também Beleza a todos.
Bjs da sua irmã, Luzia

Dra. Elizabeth dos Santos Braga (pós-doutorada em Pedagogia, escritora e professora da USP) disse...

Bom dia, Franz!
Muito lindo o elogio fúnebre proferido pelo Frei Basílio. Obrigada por ter conseguido o seu registro.
Essa foto da Mamãe (que você usou na matéria) foi tirada por mim. A Rute reproduziu-a outro dia. Estávamos em S.Paulo numa pizzaria. Fico feliz. Ela está muito bonita, com seu capote de sempre e muito chique de cachecol.

Beijo da sua irmã,
Elizabeth

Dr. Aristides Junqueira (advogado, ex-Presidente da Procuradoria Geral da República) disse...

Prezado Francisco Braga,
somente agora, tomei conhecimento do falecimento de sua mãe. Embora com atraso, receba minha solidariedade.
Abraço do
Aristides

Prof. José Maurício de Carvalho (escritor, Membro da Academia de Letras de SJDR e professor universitário) disse...

Muito bem! Boas vidas são lembradas com carinho.
José Maurício

Profª Elizabeth dos Santos Braga (pós-doutorada em Pedagogia, escritora e professora da USP) disse...

Querido irmão Francisco,
acrescento mais um comentário: Mamãe sempre foi uma pessoa que soube admirar a Beleza da natureza, da música, da arte e mesmo de pequenas coisas. As palavras do Frei Basílio foram muito felizes e nos fazem lembrar com carinho dessa característica marcante de nossa querida Mãe.
Elizabeth

Paulo José de Oliveira (Presidente da Academia Formiguense de Letras e do Clube Literário Marconi Montoli, bem como Diretor Secretário da Federação das Academias de Letras e Entidades Culturais de Minas Gerais-FALEMG) disse...

Nobre acadêmico e amigo Francisco Braga,

Somamo-nos às homenagens, à sua dor e à memória de sua mãe! Que nosso Ser Superior conforte os corações de todos os seus. Abençoados sejam!

Att.,
Paulo José de Oliveira

Dr. Lúcio Flávio Baioneta (ex-aluno do Ginásio Santo Antônio e proprietário de Análise Comercial Ltda) disse...

Meu prezado amigo FJSBraga, cheguei hoje de viagem e recebi seu e-mail com a triste notícia do falecimento de sua mãe. Momento difícil. Único. Não tenho como lhe falar.
Nunca irá apagar de suas doces memórias a figura ímpar de sua mãe. Lembro-me da minha todos os dias. O tempo não apaga, atenua. Suas lembranças vão se transformar em saudades.
Receba nosso abraço com nossos profundos sentimentos de pesar.
Seus amigos Vilma e Lucio Flavio

Dr. Roque Camêllo (advogado, escritor, membro do IHGMG-Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, Presidente da Comissão de Defesa do Patrimônio Histórico da OAB-MG, Presidente da Academia Marianense de Letras e Diretor Executivo do Museu da Música de Mariana) disse...

Dileto amigo Francisco Braga,

Acabo de ler a mensagem do Frei Basílio, um texto de despedida dos nossos olhos terrenos à sua querida mãe, D. Celina. Já o nosso olhar espiritual não se despede, mas louva o Criador por receber em sua glória aquela que cumpriu, sem reservas, a missão a ela destinada. As palavras do Frei Basílio tocaram-nos a alma retratando a edificante vida de uma criatura abençoada.

Fraterno abraço meu e da Merania.

Roque Camêllo

Hélio Petrus (escultor-poeta marianense) disse...

CARÍSSIMO AMIGO FRANCISCO BRAGA:


COM O AMIGO COMPARTILHO
A DOR POR TAL DESPEDIDA:
SANTA MÃE DE UM SANTO FILHO,
VIVE AGORA A VERA VIDA!


O CAMINHAR É PENOSO,
DOS MORTAIS É ESTA A SINA:
MAS O FIM É GLORIOSO,
É A FÉ QUE ASSIM ENSINA...


A ESPERANÇA DE QUEM CRÊ
NÃO É NA VIDA QUE ESCAPA:
PASSAMOS, EU E VOCÊ,
AO TERMO FELIZ DA ETAPA...


NÃO TE POSSO CONSOLAR
MAIS DO QUE A ARTE TE CONSOLA:
POIS DO TEU NINHO, DO LAR,
FIZESTE ESPLÊNDIDA ESCOLA!...


ABRAÇOS AO DISTINTO CASAL AMIGO.
HELIO PETRUS.

Frei Joel Postma o.f.m. (compositor sacro, autor de O PEREGRINO DE ASSIS e regente do coral Trovadores da Mantiqueira) disse...

Caros Amigos Francisco e Rute,
As palavras de frei Basílio são acertadíssimas, falando da vida preciosa de Dona Celina, uma vida totalmente colocada a serviço da sua família e da Igreja, em São João del-Rei. Uma maravilha imperecível, produzindo frutos de divina humanização deste mundo. Só nos resta imitar e praticar este espírito humano-divino na nossa peregrinação terrestre. Deus seja louvado
pela vida bela de Dona Celina!
Votos de Paz e Bem, para vocês e seus familiares, do irmão Fr. Joel.

Prof. Fernando Teixeira (Secretário Geral da Academia Divinopolitana de Letras e escritor) disse...

Caro amigo Braga, a morte é sempre uma surpresa, por mais que procuremos entendê-la como contingência humana. Mas há uma certeza: o tempo sem tempo na companhia de Deus.
Antes de ler o texto de frei Basílio, o querido Silvério Resende dos tempos de Santos Dumont, quero abraçá-lo e dizer no silêncio deste gesto, ainda que na distância da correspondência eletrônica, da minha solidária amizade e minhas preces. Pax tecum. Fernando Teixeira

Aluízio José Viegas (flautista, violoncelista, regente, historiador e pesquisador musical) disse...

Prezado Francisco e familiares,
Tomei conhecimento na Casa Paroquial do falecimento da nossa mais que estimada D. Celina dos Santos Braga, sua progenitora, a quem conheci e sempre admirei pela sua dedicação à família e sua pronta disponibilidade em lecionar a Catequese para mulheres nos salões catequéticos da Paróquia, na Rua do Ouro e no Alto das Mercês.

D. Celina já está a contemplar a Luz da Glória, prêmio aos servos bons e fiéis, especialmente àqueles que só fazem bem ao próximo, de modo peculiar aos menos favorecidos pela vida. Foi para Deus com as mãos repletas dos tesouros das boas ações e já ouviu as palavras: "Vem serva boa e fiel! Entra nas alegrias de teu Senhor!"

Aceitem todos da família os meus votos de pesar. Mas que a tristeza de sua morte não seja maior do que a alegria de vocês terem tido D. Celina por mãe carinhosa e dedicada que soube encaminhar seus filhos para o Bem.

Com o abraço fraterno e amigo do Aluízio Viegas e família.

Aluízio José Viegas (flautista, violoncelista, regente, historiador e pesquisador musical) disse...

Prezado Francisco e familiares,
Grato pela remessa do Elogio Fúnebre da já muito saudosa e sempre querida D. Celina, de quem tive a honra de privar da amizade.

Creia, sinceramente, diariamente à noite, rezo pelo descanso eterno de todas os meus familiares e de todas as pessoas conheci e convivi e que já estão na eternidade, vendo Deus face a face.

Mais uma vez aceitem todos da família o meu pesar mas também o meu agradecimento a Deus pelo dom da vida à já tão saudosa D. Celina, que só soube semear o Bem.

Abraço fraterno a todos.

Aluízio Viegas

Francisco José dos Santos Braga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Érica Veloso Pimentel de Mello disse...

Francisco, como vai?
Sinto muito pela sua perda, da qual fiquei sabendo ao ler o Elogio Fúnebre. Que neste momento Maria possa abraçá-los e dar o conforto necessário para prosseguirem.
Gosto sempre de nestes momentos lembrar de Guimarães Rosa: “as pessoas não morrem, elas se tornam encantadas”...
Abraços para você e Rute.
Érica

Lucia Maria Alves Ferreira Gonçalves Netto disse...

Braga,

Só hoje, através do texto, tomei conhecimento de que a sua mãe havia falecido. Percebi que fazia alguns dias que vc não me mandava emails, e pensei que seria esse, então, o motivo da sua ausência. Não o conheço, mas posso imaginar a dor que vc está sentindo por tamanha perda. Que Deus em sua infinita misericórdia lhe dê a força e o conforto necessários para superar este momento tão difícil. Tenho certeza, que todo o amor, ensinamentos e valores recebidos dela, permanecerão com vc para sempre. Ela viverá através de você! "Aqueles que partem não vão sós e nem nos deixam sós, eles deixam um pouco de si e levam um pouco de nós" e isso nos serve de consolo, não é mesmo?
Deixo pra vc e toda a família o meu abraço fraterno e que Deus abençoe a todos.
Lúcia

Dolores Olívia Ferraz de Oliveira disse...

Oi Francisco, bom dia!
Achei muito lindo o texto em homenagem a sua querida mãe, D. Celina.
Desejo que Jesus, nosso Mestre Maior, continue dando o conforto necessário a toda a família, com a certeza do dever filial cumprido brilhantemente!
Não esquecemos jamais nossos entes queridos que partiram antes de nós, somente acostumamos com a saudade, com a certeza de que vamos nos reunir novamente.
Aí está a bondade de Deus!
Aqui me despeço com um fraternal abraço, Dolores

Mercemiro Oliveira Silva (Membro da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Prezado Confrade,
Apesar de já decorridos mais de 3O dias do falecimento da senhora sua Mãe, apresento-lhe e aos demais de distinta Família, minhas condolências.
Cumprimentos a sua esposa.
Mercemiro

Maria Auxiliadora Muffato disse...

Prezado amigo Braga:
Sua mamãe repousa tranquila no coração de Deus, e seu espírito habita a vastidão do cosmos. "Deep Peace ", como uma carícia, nos transporta àqueles universos dos quais também somos partes.
Esta música na partitura anexa foi um presente de Maria Célia, uma professora de canto da linha da antroposofia, que hoje passo a você. Peça a Rute para cantá-la para você.
Abraço.
Gina

Paulo Rodrigo Natividade Milagre (Membro da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Caro Francisco.

Lamento o falecimento de sua mãe. Não a conheci, mas tive a grata satisfação e a honra de conhecer um de seus filhos - você. Pela pessoa que você é, podemos perceber como foi a sua criação - um trabalho de seus pais. Dizem que pela árvore se conhecem os frutos, mas acredito que pelos frutos também se pode conhecer a árvore.

Por isso, meu amigo, mesmo sem ter conhecido sua mãe, sei que ela cuidou maravilhosamente bem de todos os seus 8 filhos (dos quais só conheço você).

Guarde em seu coração todos os momentos felizes que você passou ao lado de sua amada mãe e, certamente, de onde ela estiver, guardará também a felicidade de ter tido e criado um filho como você.

Um fraterno abraço.

Paulo Milagre.