quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Os remédios da "MEDICINA VEGETAL" do PADRE GUSTAVO


Por Evandro de Almeida Coelho

Monsenhor Gustavo Ernesto Coelho (1853-1924),  criador  da          MEDICINA  VEGETAL

As propagandas da Medicina Vegetal nos dizem que “não é apenas um remédio para todos os males, mas sim uma receita especial para cada grupo de doenças, conforme o órgão atacado ou sede do mal”.
 
Respeitando as grafias originais, temos a propaganda do Boletim Odontológico Especial de dezembro de 1922 e a de um volante distribuído aqui na cidade de São João del-Rei, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Vejamos.
1.     Mororó - “cura a syphlilis e o herpetismo” ou “depurativo”.
2. Yucaty - “Tratamento das gonorréas, exclusivamente interno” ou “Blenocida (Gonorrhéas)”.
3. Focillina - “combate a neurasthenia e molestias cerebro-spinaes” ou “contra a neurasthenia”.
4.   Canahyba - “Para doenças do fígado” ou “Para o fígado”.
5.   Vegetalino - “Infallível no rheumatismo e arthritismo em geral” ou “Contra o rheumatismo”.
6.   Parentana - “Específico das moléstias dos rins” ou “Para os rins”.
7.   Yerobina - “Cura doenças do estomago, fastio, etc” ou “para o estomago”.
8.   Phyllantus - “Remédio para moléstias do sexo feminino” ou “Para doenças da Mulher”.
9.   Tayunquina - “Vinho regenerador, fortificante” ou “Tonico – depurativo”.
10.   Só no volante aparece a Aguerina - “Asthma”.
11.    Só no volante aparece a Paracaryna - “Bronchite”.
12. Só no volante aparece a mistura para fazer chá, o Velaminhos - “Apparelho renal”.

Depois da relação dos produtos há uma observação: “A Medicina Vegetal é empregada pelo seu inventor, sempre com resultado seguro, há muitos annos”. “A venda em todas as pharmacias.”

Depósitos autorizados para os produtos, no Rio de Janeiro: Pharmacia S. José Rua Barão de Mesquita, 674;  Penna & Filhos – Rua da Quitanda, 57;  Rodolpho Hess & C. Rua 7 de setembro, 61; Drogaria Pacheco – Rua dos Andradas, 85. Em São Paulo, a Drogaria J. Santos & C. Rua São Bento 74-A.

Para a produção dos remédios havia os “mateiros” - procuravam folhas e frutos; havia os “raizeiros” - especialistas no achamento de plantas das quais se usavam apenas as raízes, e mais outros que conseguiam as cascas de árvores sem destruí-las. Uma das raízes mais usadas é da jurubeba, que dá nome a um terrível vinho de laranja fermentado com as ditas.

Não sabemos as fórmulas do Padre Gustavo, transferidas ao sobrinho Mello Júnior; entretanto, por tradição de família, podemos apontar a pariparoba ou capeba como básico para o fígado; a aristolóquia, a canela de sassafraz e a passiflora eram usadas como calmantes; o paratudo e o angico para “limpar o sangue”; a poaia e o jaborandi para as bronquites; a extraordinária parietária para os males renais; o algodoeiro e a raiz de carapiá funcionavam em organismos femininos; arnica e chapéu de couro resolvem as crises de reumatismo; funcho, chá de porrete e hortelã podem curar o estômago. 

Ainda bem que a fitoterapia começou a estudar e experimentar as ervas do povo usadas desde longe.


Possíveis indicações de vegetais para a “Medicina Vegetal”
 

Reitero que não sei as fórmulas usadas pelo Monsenhor Gustavo para a preparação dos remédios, que foram transferidas ao sobrinho Mello Júnior, e foram usadas por muitos anos depois que o laboratório se transferiu de São João del-Rei para Belo Horizonte. 

Por tradição de família, posso apontar alguns vegetais básicos para as receitas dos medicamentos:

Aguerina, contra asthma: maracujá – agoniada – assapeixe – cordão de frade – guaco – mulungu – cambará – cactus.
Canahyba, para o fígado: pariparoba (capeba) – abacateiro – abutua – aperta ruão – boheravia – boldo – carqueja – gervão (ou geribão) – erva tostão – jaborandi – jurubeba – panacéia – ruibarbo do campo – dente de leão – mulungu – chapéu de couro – quina cruzeiro – fedegoso.
Focillina, contra neurasthenia: aristolochia – canela de sassafraz – casca de anta – cassaú – fel da terra – vetiver – mulungu – sálvia – douradinha – erva cidreira – artemísia.
Mororó, depurativo geral: paratudo – angico – bowdichia – canela de sassafrás – chapéu de couro – cipó azougue – cipó suma – japecanga – mururé – nogueira – panacéia – sucupira.
Paracaryna, para bronchite chronica, tosse, grippe: setesangria – poaia – jaborandi.
Parentana, para os rins: parietária – estigmas de milho – aperta ruão – cipó cabeludo – erva pombinha – jequitibá – velame do campo – jatobá – suma roxa – chapéu de couro – congonha de bugre.
Phillantus, para doenças do útero: algodoeiro – aristolóquia – buranhém – carapiá – cassaú – cordão de frade – erva de bicho – jequitibá – raiz de anil – sensitiva.
Tayuquina, tônico depurativo: aristolóquia – aroeira – buranhém – cajueiro – calumba – cassaú – catuaba – cipó azougue – fel da terra – guaraná – imburana – laranjinha do mato – mirosperma – nogueira – paratudo – pau pereira – quina do mato – quina cruzeiro – carqueja – artemísia – douradinha.
Vegetalino, para rheumatismo: arnica – aroeira – canela de sassafrás – carobinha do campo – chapéu de couro – cipó azougue – cipó suma - douradinha do campo – guaco - guiná – japecanga – melão de São Caetano – saúde do corpo – sucupira - suma roxa – velame do campo – tomba - sabugueiro – salsaparilha.
Velaminhos, para doenças do aparelho urinário: velame do campo – abacateiro – jaborandi – cajueiro – aperta ruão - barbatimão - chapéu de couro – sene – congonha do bugre - douradinha.
Yerobina, para o estômago e gases: funcho – cassia catártica – chá porrete – hortelã – casca d'anta – camomila – pacová – jatobá – abutua – setessangria - pariroba.
Yucaty, blenocida: aroeira – cipó cabeludo – aperta ruão – douradinha do campo – jaborandi – panacéia – picão da praia – jurubeba do cupim – cipó cravo – velame do mato – chapéu de couro – jatobá – marapuama – catuaba.


Homeopatias mais usadas para uma farmácia caseira


Contar as gotas do produto em meio copo de água filtrada

1.   Febre e congestões: Aconitum, Belladona, Bryonya
2.   Afecções verminosas: Cina, Ignatia, Silicea
3. Cólicas, insônia e dentição de crianças: Camomila, Jalapa, Calcária carbônica
4.   Diarréia infantil: Ipecacuanha, China (Quina), Calc. Carbonica
5.   Desenteria, tenesmo, cólica: Calcium, Colocynt, Mercurius Corrosivus
6.   Cholera Morbus, náuseas, vômito, prostração: Arsenico, Cuprum, Verat
7.   Tosse, bronquite, influenza, garganta: Bryonya, Causticum, Phosphorum
8.   Nevralgia de rosto, dentes, nervos: Belladona, Plantago, Mezerem
9.   Dores de cabeça, vertigens: Apis, Iris, Nux-vomica, Pulsatila Sépia
10. Dyspepsya, bilis, estomago, constipação: China (Quina) Nux vomica, Sulphur
11.  Loucorrhea, metrorragia, prolapso: Belladona, Carbono anim, Nux vomica
12. Menstruação irregular, escassa, dolorosa, retardada: Apis, Pulsatila, Sépia
13.  Crupe, rouquidão, opressão: Aconitum, Kali bicromático, Spongia
14.   Pele: Apis, Rhus, Sulphur
15.   Rheumatismo: Aconito, Bryonnia, Tartaro Emético
16.   Febre, malária, sezões: Canchalaqua, Ipecacuanha, Nux-vomica
17.   Hemorroidas: Hamamelis, Nux-vomica, Sulphur
18.   Ophtalmia, olhos, pálpebras: Apis, Calca.carbônica, Euphrasia
19.   Influenza fluente, aguda, cronica: Ammoniun, Muriaticum, Nitri acido
20.   Coqueluche: Belladona, Drosera, Ipecacuanha, Cuprum
21.  Asthma: Arsenicum, Ipecacuanha, Lachesis
22.  Othorrhéa, ouvidos: Hepar.Sul., Pulsatila, Silicium
23.  Escrofulos, úlceras: Baryta Carb., Lachesis, Silicia
24.  Fraqueza: China (Quina), Ferr., Nux-vom.
25.  Hydropsia, edema: Apis, Ars., Baryta (Arsenicum)
26.  Enjôo, vertigens, náuseas, vômito: coculus, Nux-vomica, Petroleum
27.   Urina escassa: Lycopodio, Pulsatilla, Salsaparilha
28.   Fraqueza genital: Aur.f., China (Quina), Phosph. Acid.
29.   Aphtas, cancro: Natrum muriat., Nux-vomica (Tarantula?)
30.   Urina solta: Cannabis, Cantharis, Mercuris vivus
31.  Colica, dysmenorrhéa, hysteria, prurites: Coculus, Platina
32.  Coração: Cactus, Lachesis, Sépia, Cereus
33.   Caimbra, epilepsia, convulsão, espasmos: Belladona, Ignatia, Sulphur
34. Diphteria, esquimencia, úlcera, garganta: Lachesis, Phitolaca, Merc. Dulcia
35.    Insonia: Coffea, 2 gotas em meio copo

Entreguei ao vigário Padre Sebastião Raimundo de Paiva dois volumes sobre homeopatia, precisando de re-encadernação. Estas receitas são baseadas nos dois livros que ainda devem estar na biblioteca da Casa Paroquial. Dos manuscritos há a seguinte receita:
Para grippes, etc.:                                           
Cognac fino................75,0
Tintura de canela........25,0
Camphora....................0,5
Tomar 1 colherinha de 4 em 4 horas. Para crianças, tome um pouco de assucar, ponha 5 gotas de cada vez, 3 vezes ao dia.

8 de março de 1966, cópia de um original manuscrito. 


AGRADECIMENTO 

Sou grato ao gerente do Blog de São João del-Rei e sua esposa Rute Pardini por terem ido pessoalmente até à Igreja de São Gonçalo Garcia em 17/04/2014 para tirar a fotografia do Pe.Gustavo,  que orna a presente matéria.


8 comentários:

Jota Dângelo (médico, diretor, ator, teatrólogo, gestor cultural, fundador da escola de samba Qualquer Nome Serve e escritor) disse...

Braga: uma atmosfera de mistério sempre cercou a medicina vegetal do Padre Gustavo. Correram lendas a respeito, inclusive com afirmações de que ele mantinha plantação de maconha em sua horta e usava a erva para o tratamento da asma. Veja que no artigo do Prof. Evandro nenhuma referência é feita sobre isto, no que deve estar correto. Dangelo

Dr. Lúcio Flávio Baioneta (ex-aluno do Ginásio Santo Antônio, escritor, conferencista e proprietário de Análise Comercial Ltda) disse...

Meu prezado amigo, FJSBRAGA , sempre que leio ou converso sobre a medicina vegetal vejo por trás de tudo a frase de Leonardo Da Vinci:
- Só existe um mestre, a natureza.
O Padre Gustavo seguia os ensinamentos de Da Vinci.
Abs
Lucio Flavio

Prof. Dr. Adriano Benayon (economista e escritor) disse...

Muito grato, ilustre amigo.

Aproveito para enviar a você e Rute nossos melhores votos de feliz Natal e de excelente Ano Novo.

Abraços,

Adriano Benayon

Prof. Fernando Teixeira (professor universitário, escritor e Secretário Geral da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Na verdade, Braga, um precioso material de pesquisa. Grato pelo envio. Abs, Teixeira

Carlos Fernando dos Santos Braga (pesquisador e funcionário da UFSJ) disse...

Caro mano Francisco Braga,
Meu comentário se refere ao depósito autorizado para os produtos do Pe. Gustavo no Rio de Janeiro: Penna & Filhos, Rua da Quitanda, 57.
Na época referida pelo texto, o Pe. Gustavo devia estar vendendo seus produtos para o filho do homeopata "proprietário e fundador" Antonio Gonçalves de Araujo Penna, o qual ficou curado, segundo a lenda, pelos bons efeitos das Águas Santas (balneário existente em São João del-Rei, embora seja distrito de Tiradentes-MG). Por essa razão, teria ele mandado construir a capela de Nossa Sra. da Saúde naquela localidade.
No link http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0350a1875.htm, vê-se a propaganda da farmácia na penúltima posição sequencial. Aí se pode constatar que o estabelecimento tinha funcionado nos nºs 53 e 47 da Rua da Quitanda, provavelmente antes de abrir negócios com o Padre Gustavo, pois a propaganda que traz os dois primeiros números é datada de 8 de outubro de 1875.
Descobri ainda que o dito homeopata, Sr. Antonio Gonçalves de Araujo Penna, é autor de importante tese, "Estudo Graphico da Febre", de 1896. (Cf. http://www.labdigital.icict.fiocruz.br/obras_pdf/these_1896_antonio_penna.pdf)
Finalmente, o seu nome ainda aparece como diretor de uma enfermaria homeopática no Hospital da Marinha, num estudo de Alberto Soares de Meirelles, "Pequena história da homeopatia com suas repercussões na cidade do Rio de Janeiro, no período de 1886 a 1986". (Cf. http://www.ihb.org.br/ojs/index.php/artigos/article/viewFile/194/172)
Abraço do seu
Carlos Fernando dos Santos Braga

Anônimo disse...


Muito bom o artigo do Prof. Evandro Coelho, transcrito para o Blog de São João del Rei, que sempre traz assuntos condizentes com a realidade do Sanjoanense.
Meus parabéns,

Rafael Braga

José Bosco disse...

BRAGA,

PARABÉNS PELOS ARTIGOS E SUA PRODUÇÃO INTELECTUAL CADA VEZ MELHOR E ETICAMENTE ÚTIL, CULTURALMENTE ENRIQUECEDORA.
JOSÉ BOSCO

Antonio Casella disse...

Cumpadre, muito interessante essa matéria sobre Medicina Vegetal do
Padre Gustavo. Esse padre deve ter ganhado dinheiro com isso.
Cumpadre, a vida é muito curta. Veja que isso foi ontem mesmo.