quinta-feira, 30 de julho de 2015

FALECIMENTO DO MÚSICO, MUSICÓLOGO E PESQUISADOR ALUÍZIO VIEGAS ABRE IRREPARÁVEL LACUNA NA COMUNIDADE CULTURAL DE MINAS E DO BRASIL


Por Roque Camêllo

Diretor-executivo da Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana

O musicólogo Aluízio José Viegas no arquivo da Orquestra Lira Sanjoanense (2008).  Crédito pela imagem: Wikipédia, verbete "Aluízio José Viegas"

Recebi, com tristeza, a notícia da morte de Aluízio José Viegas, músico, musicólogo e pesquisador brasileiro que se especializou no patrimônio histórico-musical mineiro, na história e nas tradições do Município de São João del-Rei.

Foi funcionário da Universidade Federal daquela Cidade História (UFSJ). Revitalizou a música sacra mineira, atuando como flautista, violoncelista e contrabaixista na Orquestra Lira Sanjoanense.

Trabalhou no projeto Acervo da Música Brasileira – Restauração e Difusão de Partituras (2001-2003), realizada pela Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana (FUNDARQ), mantenedora do Museu da Música, instituição com a qual colaborou desde 1976.

Contribuiu significativamente para a preservação do patrimônio histórico-musical brasileiro, deixando um legado de dedicação à música.

Seu corpo foi velado na sede da Orquestra Lira Sanjoanense, sepultado no Cemitério da Ordem Terceira do Carmo de São João del-Rei.

Desce ao sepulcro visível, mas a Cultura nacional não o esquecerá. O bem que construiu e soube distribuir tornou-o perene.

O Museu da Música de Mariana, em homenagem ao mestre Aluízio Viegas, postou, no seu site, um vídeo reproduzindo uma de suas últimas entrevistas.

Confira, acessando os linques:



ou

https://www.youtube.com/watch?v=hCVyRVy93HQ&feature=youtu.be

23 comentários:

Dra. Merania de Oliveira Camêllo (escritora e membro da Academia Marianense de Letras) disse...

Prezado Dr. Francisco Braga,
Paz, saúde e alegria!

Dei ciência ao Roque de seu desejo de publicar no Blog de SJDR o “panegírico fúnebre” ao Aluísio Viegas.

Aprovou plenamente sua ideia por entender que o finado é merecedor de todas as homenagens da comunidade cultural. O Roque conviveu muito com o grande musicólogo em razão de seus trabalhos no Museu da Música de Mariana.

Abraços para você e para Ruth, a divina voz como diz o Roque.
Merania

Francisco Flávio Rodrigues disse...

O amor à Música o colocará no melhor lugar do Auditório do Céu.
Meus sentimentos pela irreparável perda.

FFAE

Anônimo disse...

Na grande Orquestra da Sinfonia inacabada desta vida, perder um componente, como o nosso conterrâneo Aluísio Viegas, é o mesmo que ressoar uma nota em dissonância com a harmonia.

Musse Hallak

Eric Tirado Viegas (tradutor, escritor, proprietário dos blogs Eric Ponty Poesia Reunida e http://oranicefranco.blogspot.com.br/ (acervo de Oranice Franco), membro da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Francisco
agradeço-lhe em nome da família Viegas.
eric tirado viegas (ponty)

Prof. Fernando Teixeira (professor universitário, escritor e Secretário Geral da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Sempre tive admiração e respeito pela atividade intelectual do doutor Roque Camello. É dessas pessoas que marcam seus passos na estrada.
Abraço para você e Rute do amigo sempre Fernando Teixeira

Prof. José Lourenço Parreira (professor, capitão do Exército, violinista, regente, escritor e palestrante) disse...

Com emoção, li, vi e ouvi o belo documento. Quando os Duos de Gabriel Fernandes da Trindade foram gravados, o ALUÍZIO mandou um CD para mim e lamentou que meu nome fora omitido. No século XX, os referidos Duos eram tocados, como estudo didático, na escola da LIRA. Tocava-os o professor LUÍS FRANÇA e seu aluno Jose Lourenço Parreira. TOCAVAM NA PARTITURA ORIGINAL! Fui embora de São João del-Rei-MG e a parte de um dos violinos, muito antiga, ficou nos meus pertences, em minha casa. Ninguém sabia! ALUÍZIO morava perto de minha casa. Certo dia, quando estava em São João, ele me perguntou se por acaso eu estaria com uma partitura do Duo. Respondi que sim e ele deu um grito de alegria, pois não existia nenhuma cópia da mesma. Assim, o Dr Paulo pôde realizar o trabalho e ainda ficou amigo do Aluízio, verdadeiro gênio em tudo que fazia. Caro Braga, no velório recebi pêsames de pessoas que sabiam do amor fraterno que me unia ao ALUÍZIO. Sua irmã, Maria Carmen, me abraçou dizendo que tudo que eu fazia ele ficava alegre e dizia: "o meu irmão Lourenço". Ao longo das semanas, não raro mais de uma vez, e, com certeza, todos os domingos eu telefonava para ALUÍZIO: edificava-me no saber e na fé! No final de agosto, deverei receber o máximo título honorífico de Campo Grande. A Câmara Municipal vai me conceder o título de cidadão daquela cidade. Que pena, o ALUÍZIO ia ficar tão feliz! Deus abençoe, caro amigo Braga! Lourenço Parreira

Jota Dangelo (médico, escritor, jornalista, diretor teatral, ator, dramaturgo, gestor cultural e fundador da Escola de Samba Qualquer Nome Serve) disse...

Perda lamentável para a música sacra e para São João del-Rei, Minas e o país. Dangelo

Prof. Ulisses Passarelli (escritor, folclorista e gerente do blog Tradições Populares das Vertentes) disse...

Acabo de assistir. Muito bom vídeo, excelente e merecida homenagem.
Grato pelo envio.
Att. UP.

Cesar AUGUSTO VIEGAS DA SILVA disse...

Após ler tais comentários, senti-me obrigado a fazer o meu também. São várias histórias, diversas e diferentes pessoas... profissionais diferentes em gostos tão iguais. Tive o privilégio de "crescer" junto com Aluízio (sou seu sobrinho e fui criado na casa de meu avô). E, hoje, depois tantas conversas só posso "confirmar" a figura ímpar que ele sempre foi.
São inúmeros agradecimentos. Por ajudas, por pedidos intermediados, pelo simples fato de terem sido "ouvidos". E, eu? Qual deveria ser o meu agradecimento?
Vi infinitas cópias de partituras "nascendo"... uma para cada instrumento, para cada um dos "cantores"... caneta tinteiro... mata borrão... e as horas se passavam. Depois tinha ensaio na Lira e/ou na Sinfônica. Ah! isso depois do dia todo no trabalho... Na farmácia guimarães e depois na Prefeitura. Aliás, muitas lembranças e casos contado sobre o Sr. Mário Lombardi, de quem meu Tio tinha grande satisfação de comentar.Já na UFSJ fomos colegas de trabalho. Ultimamente nos aproximamos mais, pois além de questões familiares, também estava me auxiliando num projeto para a Irmandade de Santo Antônio. Deixo aqui meu agradecimento a todos que manifestaram a grande perda, mas deixo também o meu agradecimento pelo privilégio da convivência e do aprendizado.
Obrigado Tio Alô...!!!

Luiz Antônio Tavares disse...

É com pesar que venho agradecer a você, Francisco, o envio (sempre bem-vindos) dos emails. Quero parabenizá-lo pelo Blog de São João del-Rei, como sempre rico em conteúdo, com histórias, publicações e notícias nem sempre agradáveis como gostaríamos. Tristeza por ter nos deixado orfãos de tamanha dedicação o ilustre são-joanense Aluízio José Viegas. Parabéns ao saudoso Aluízio José Viegas pelo legado deixado a todos, e acredito que esteja lisonjeado das sinceras homenagens dirigidas merecidamente a ele por todos os seus.
Francisco, perdoe-me pelas pontuações incorretas, mas com certeza o que escrevo é sincero.
Um grande abraço,
Luiz

Prof. José Lourenço Parreira (capitão do Exército, professor de música, violinista, maestro e escritor) disse...

Caro amigo Braga, paz!

Hoje é o primeiro dia dos fiéis defuntos em que não falarei com o querido amigo ALUÍZIO, pois, ele está nessa situação. Como me faz falta! Sabe, quase todos os dias, e, sem falta, aos domingos, longamente conversávamos ao telefone.

Não sei se ocorre isso com você, mas tenho pessoas especiais que me são especialmente valiosas. Dão, de certa forma. sentido e força ao meu viver.

Aluízio era um desses tesouros. O meu irmão Benigno, Professor Abgar e você são outros tesouros cujas lembrança animam-me a a escrever esses rabiscos no Evangelho Quotidiano e, também, procurar a fé que nos orienta, há dois mil anos: a fé católica!

Louvo a Deus, pois, neste dia, pela existência do querido e luminar amigo, glória das letras de São João del-Rei, modelo de fiel piedoso da Igreja Militante!

Ab imo corde,

Lourenço

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...

É com saudade e profundo sentimento de gratidão a Deus pela graça de ter premiado os são-joanenses com a vida de ALUÍZIO JOSÉ VIEGAS (☆ 26/03/1941-✞ 27/07/2015) durante 74 anos, sempre servindo, sempre ajudando, sempre colaborando... Se estivesse entre nós, nesta data Aluízio Viegas estaria completando 76 anos de vida.

Grande admirador das solenes tradições religiosas e musicais de nossa terra, esmerou-se em explicar o que antes dele era misterioso e obscuro, tendo deixado muitas páginas de sua autoria esclarecendo dúvidas que nenhum pesquisador ousou dirimir.

Da minha parte, afirmo que Aluízio Viegas colaborou sempre com o Blog de São João del-Rei, especialmente nos artigos de minha autoria de cunho histórico-musical, – tendo recebido sempre, é verdade, o merecido crédito pela referência, – esclarecendo dúvidas e trazendo luz sobre determinados fatos mais complexos.

Portanto, o Blog de São João del-Rei não poderia deixar de comemorar a vinda ao mundo de Aluízio Viegas, mas cuja morte "abriu irreparável lacuna na comunidade cultural de Minas e do Brasil", segundo Dr. Roque Camêllo.

Que a alma de Aluízio Viegas esteja descansando em paz, em companhia da de seu grande amigo e benfeitor, Monsenhor Sebastião Raimundo de Paiva, diante da face de Jesus Cristo, intercedendo por nós, que, como os Gregos, somos nautas combalidos pelas procelas deste mundo.


SAUDADE

José Lourenço Parreira

Aluízio José Viegas foi um dos maiores nomes da hodierna história de São João del-Rei.
Um gigante como liturgista na Semana Santa da Catedral, musicólogo respeitado em todo o país, músico da Lira Sanjoanense.
Era leitor diário desta página (Evangelho Quotidiano), o que muito me honrava.
Vítima de trombose, que muito o fez sofrer, partiu desta vida há dois anos.
Hoje, se estivesse neste mundo, estaria se aniversariando com seus 76 anos de vida.
Oremos por sua alma e por seus familiares!

Para o Blog de São João del-Rei o saudoso Dr. ROQUE CAMÊLLO (☆ Mariana, 16/8/1942 ✞ Belo Horizonte, 18/3/2017), – também este, "figura culta e cordial, incentivador cultural e, sobretudo, cidadão marianense, disposto a tudo para ver reconhecido o brilho de sua terra natal", – escreveu um elogio fúnebre reconhecendo os inestimáveis serviços que Aluízio Viegas prestou à Fundação Cutural e Educacional da Arquidiocese de Mariana (FUNDARQ), dentro do projeto Acervo da Música Brasileira – Restauração e Difusão de Partituras (2001-2003), que relembramos aqui no dia do 76º aniversário do pesquisador são-joanense, se estivesse entre nós.

São João del-Rei, 26/03/2017

Prof. Ulisses Passarelli (odontólogo, folclorista, escritor, pesquisador, gerente do Blog Tradições Populares das Vertentes) disse...

Muito bem lembrado.

Gosto muito de seu trabalho, prezado Braga, com nossas personalidades que são em suma, a "cara" de São João del-Rei (identidade). Em contrapartida, nossa amada cidade não seria a mesma sem esses grandes nomes. Deixam e deixaram incomensurável legado cultural e humano. Prossiga... continue... não pare! Escreva mais!!! Seus textos são documentos para o presente e para o futuro. Bases para consulta e pesquisa. Referências. Eis a minha apreciação.

Abraço fraterno

Dr. José Antônio de Ávila Sacramento (bacharel em Direito, membro do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio, ex-presidente do IHG, membro da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Bem lembrado, Braga... Parabéns!
http://www.patriamineira.com.br/ver_pdf.php?id_noticia=2963&id=3
Descanse em paz. Aluízio...

Prof. José Lourenço Parreira (capitão do Exército, professor de música, violinista, maestro e escritor) disse...

Caríssimo amigo Braga, paz!

Sensibilizado, agradeço-lhe a presença na Rasoura dos Passos, hoje, de manhã, testemunhando sua fé em Deus, mas, também, prestigiando meu irmão, Benigno,

autor de SAUDADES!

Telefonou-me, Benigno, muito feliz com a sua presença e o abraço do qual você foi portador.

Disse-me que o Mazinho foi perfeito na interpretação de SAUDADES: "marcha fúnebre quanto mais lentamente tocar, mais correto estará".

Emocionou-me suas palavras sobre o meu amigo-irmão ALUÍZIO JOSÉ VIEGAS que completaria, nesta data,76 anos de vida!

Eric Viegas (escritor, tradutor, poeta e membro da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Francisco Braga,
obrigado pela homenagem, meu pai, Vicente Viegas, ficou emocionado.
Com apreço,
Eric

Dr. Aristides Junqueira Alvarenga (advogado, sócio do escritório Aristides Junqueira Advogados Associados, ex-Procurador Geral da República, natural de São João del-Rei) disse...

Prezado Francisco Braga,
você me dá uma triste notícia: Roque Camêllo morreu.
Aluízio, meu colega de infância e Roque meu colega no
Seminário de Mariana.
Rezemos por ambos.

Rafael dos Santos Braga (pesquisador e bacharel em Filosofia pela UFSJ) disse...

Muito boa a matéria sobre o Aluízio!

Ana Lúcia Resende disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ana Lúcia Resende (Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade PUC Rio) disse...

Boa noite, caro Braga.
Seus emails são verdadeiras aulas de história.
Agradeço muito por os estar enviando a mim e enriquecendo minha cultura.
Cordialmente.

Dr. Rogério Medeiros Garcia de Lima (desembargador, escritor e membro da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Assino embaixo!

Prof. Fernando de Oliveira Teixeira (professor universitário, escritor e membro da Academia Divinopolitana de Letras, onde é Secretário Geral) disse...

A memória dos que nos legam exemplo e obras fica sempre. E a saudade é apenas do legado. Abraço.