segunda-feira, 8 de outubro de 2018

MINHA MÃE



Por Martins Fontes



Beijo-te a mão, que sobre mim se espalma
Para me abençoar e proteger,
Teu puro amor o coração me acalma;
Provo a doçura do teu bem-querer.

Porque a mão te beijei, a minha palma
Olho, analiso, linha a linha, a ver
Se em mim descubro um traço de tua alma,
Se existe em mim a graça do teu ser.

E o M, gravado sobre a mão aberta,
Pela sua clareza, me desperta
Um grato enlevo, que jamais senti:

Quer dizer — Mãe! este M tão perfeito,
E, com certeza, em minha mão foi feito
Para, quando eu for bom, pensar em ti.

27 comentários:

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Elizabeth Caldeira Brito (presidente do IHG de Goiás) disse...

Obrigada pelo envio de tão belo soneto.

Atenciosamente,

Elizabeth Caldeira Brito

Dr. Eduardo Lopes de Oliveira (advogado em Belo Horizonte no escritório PMRAF Advogados) disse...

Francisco José,

Belo poema.

Parabéns, pela sua iniciativa ao publicá-lo.

Eduardo.

Anderson Braga Horta (poeta, escritor, ex-presidente da ANE-Associação Nacional de Escritores e membro do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal) disse...

MUITO BEM, FRANCISCO.

ABRAÇO

ABH

Wilma Pizza (representante dos Fios Purafibra) disse...

Muito lindo! Parabéns! Preciosidades que vão se perdendo no tempo e você as resgatando. Grata. Forte abraço em você e na Rute. Wilma

Nicolau Bachá (baterista de grupo de jazz) disse...

É UMA LINDA LEMBRANÇA.

Gilberto Mendonça Teles (poeta, crítico literário, autor de "O Terra A Terra da linguagem", agraciado com o prêmio Machado de Assis pelo conjunto da obra e com o Prêmio Juca Pato) disse...

Obrigado, meu caro Braga, pela releitura do belo soneto de Matins Fontes. Abraço do Gilberto

Rafael dos Santos Braga (pesquisador e bacharel em Filosofia pela UFSJ) disse...

Oi, Franz! Bom dia! Obrigado! Realmente é lindo e a mamãe deve estar muito alegre no plano espiritual. Beijos !

Dr. Mário Pellegrini Cupello (escritor, pesquisador, presidente do Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ, e sócio correspondente do IHG e Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Caro amigo Braga

Que delicadeza contida na expressão poética deste soneto, de rara inspiração. Se vivo ainda fosse o Poeta Martins Fontes teríamos muito prazer em felicitá-lo por esta pérola literária.

Agradecemos ao amigo Maestro Braga, pelo privilégio que nos concedeu ao enviar-nos esta mensagem.

Abraços, dos amigos Mario e Beth.

Diamantino Bártolo (professor universitário Venade-Caminha-Portugal, gerente de blog que leva o seu nome http://diamantinobartolo.blogspot.com.br/) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Diamantino Bártolo (professor universitário Venade-Caminha-Portugal, gerente de blog que leva o seu nome http://diamantinobartolo.blogspot.com.br/ e presidente do Núcleo Académico de Letras e Artes de Portugal) disse...

Muito obrigado, Francisco Braga, pela sua partilha.
Boa semana.
Abraço.
Diamantino Bártolo

Jota Dangelo (diretor, ator, dramaturgo e gestor cultural, cronista e escritor) disse...

Belo o soneto de Martins Fontes. Confesso que não conhecia nada sobre ele. Dangelo

Prof. Fernando de Oliveira Teixeira (professor universitário, escritor, poeta e membro da Academia Divinopolitana de Letras, onde é Presidente) disse...

Este poema de Martins Fontes vale ser relido e, especialmente, sentido na simplicidade do sentir. Certamente sua mãe gostava da obra por fundas razões. E só isto já justifica seu gesto de divulgação. Abraço do Fernando Teixeira

Eric Tirado Viegas (escritor, tradutor e membro da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

bonito

Anônimo disse...

Querido Francisco, minha gratidão por nos presentear com este belo poema. Pude, através dele, me ligar à nossa Mãe e vê-la sorrir agradecida para este seu filho querido. Beijos, Luzia Rachel

Luzia Rachel dos Santos Braga (servidora pública aposentada como arquiteta da Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de Florianópolis e pianista) disse...

Querido Francisco,
Obrigada por proporcionar este encontro com Martins Fontes, de forma tão especial - em meio dos pertences da Mamãe. Me faz amar mais ainda o poema! Beijo carinhoso,
Luzia Rachel

Djair disse...

Francisquinho, bom dia!
Parabéns por mais esta bela publicação.

Eduardo Oliveira (professor e coordenador de reuniões salesianas) disse...

Francisco

Bom dia.

De tanto em tanto você me desperta certas lembranças que vão profundamente ao âmago, aquele mais profundo, do coração e da alma sanjoanense, forjados no amor, na dedicação e exemplo de pessoas verdadeiramente educadoras. Da. Celina não sairá da memória: era mãe para os Bragas, mas também para os Oliveiras. E assim será.

Forte abraço

Edu
Com Dom Bosco sempre

Prof. Cupertino Santos (professor aposentado da rede paulistana de ensino fundamental) disse...

Caro professor Braga.
Não é sempre que olhamos a palma da mão com os seus "emes", mas nossas mães não nos saem nenhum dia do pensamento, impregnadas na nossa alma, apertando os nossos corações.
Parabéns pelas homenagens.
Muito grato.
Cupertino

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...

No meio dos pertences deixados por minha mãe Celina dos Santos Braga (23/01/1928-29/05/2014), um atraiu meu olhar naquele momento de profundo luto: um poema intitulado "MINHA MÃE", da autoria do escritor santista MARTINS FONTES (1884-1937), poeta e médico brasileiro, considerado um dos mais importantes poetas de seu tempo.
Acho que minha mãe ficaria feliz se um filho divulgasse a beleza contida nesta singela poesia. É a este suposto desejo dela que atendo, compartilhando esse mimo com você.

Colaborador: MARTINS FONTES
http://saojoaodel-rei.blogspot.com/2018/10/colaborador-martins-fontes.html

Poema: MINHA MÃE
http://saojoaodel-rei.blogspot.com/2018/10/minha-mae.html

Cordialmente,
Francisco Braga
Gerente do Blog de São João del-Rei

João Bosco da Silva disse...

Parabéns, meu nobre amigo. Belíssimo poema.
Grande e fraterno abraço.
João Bosco da Silva

João Bosco de Castro Teixeira (escritor, ex-professor/reitor da UFSJ e ex-presidente da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Prezado Francisco, entre os estilos literários apraz-me, sobretudo, o soneto. Muitos foram os que decorei ao longo da vida. Agora, sou brindado com mais esse que me enviou. Lindo. Agradeço, pois, de coração. Um abraço. João Bosco

Felipe Teixeira (membro da equipe de atendimento ao cliente da Editora Martins Fontes) disse...

Caro Francisco. Tudo bem?

Meu nome é Felipe e eu escrevo em nome da Editora WMF Martins Fontes para agradecer pela gentileza. Não só foi um gesto bonito esse seu, como de fato o poema merece ser lido e relido inúmeras vezes.

Devo informá-lo de que a família proprietária da editora e das livrarias Martins Fontes não tem nenhum parentesco com o grande poeta Martins Fontes. Tenho certeza de que eles adorariam ter essa ligação familiar com ele, mas não é o caso. De qualquer forma, sua mensagem nos tocou e trouxe um momento especial para toda nossa equipe de atendimento ao cliente.

Um abraço e muito obrigado,

Felipe

João Carlos Ramos (poeta, escritor, membro e ex-presidente da Academia Divinopolitana de Letras e sócio correspondente da Academia de Letras de São João del-Rei e da Academia Lavrense de Letras) disse...

Agradeço-lhe pelo poema que nos faz recordar o sublime amor de mãe.
A bênção da longevidade de acordo com a Bíblia é fruto da obediência
e honra aos pais.
Parabéns!

Anizabel Nunes Rodrigues de Lucas (flautista, professora de música e regente são-joanense) disse...

Lindo poema.

Unknown disse...

Lindo poema.Mae tem mesmo :beijos fraternos,a mão que acaricia,tudo o que de melhor pudermos ser quando CRESCER

Elizabeth Braga disse...

Lindo soneto, Franz!
Nunca mais vou me esquecer ao olhar para a palma das minhas mãos.
Mais dois signos de nossa querida Mamãezinha: esse poema e o M marcado no corpo...
Mamãe era muito sensível e amante das artes. Ela nos deixou esse belo legado, entre tantos outros.
Um beijo, com carinho,
Petete